19 de janeiro de 2010

Tenho saudades tuas

Saudades de quando me roubavas o comando e gozavas comigo. Saudades de quando me punhas a chorar e começavas a rir. Tenho saudades de esperar por ti para voltar para casa. De quando me prometias brincar comigo com as bonecas depois de jogarmos futebol, e não brincavas. Saudades de brincar nas casas em construção da rua de baixo. De querer ir contigo para todo o lado, até para as festas de aniversário dos teus amigos.
Tenho saudades de te odiar por gostar demasiado de ti e não perceber porquê. Saudades de nos pegarmos, de lutarmos, aleijar-mo-nos, mas morrer de saudades quando nos separavam. Saudades de te ver a gozar com a avó. De te ver a fugir da avó, com a vassoura na mão, à volta da casa, até cansar e rir. De fugir para o parque em Grindelwald. De chorar mais do que tu quando te magoavas. Saudades de querer jogar tão bem como tu. Saudades do orgulho que sentia quando dizias "Esta é a minha irmã". Saudades de quando me engraxavas para me pedires dinheiro emprestado.
Saudades da protecção. Dos ciúmes dos amigos por me verem como rapariga e não como tua irmã. Saudades da dor no peito sempre que se suspeitava que estivesses em apuros. Saudades da tua força mascarada de indiferença.
Saudades de querer ser como tu. Do medo de te desiludir. Da vontade de te defender... Afinal de contas, só eu posso falar mal de ti.
Saudades de sermos só os dois.
Saudades de sermos Irmãos.

6 comentários:

Daniela disse...

Tão bonito... até me deu um aperto no coração <3
Ter saudades é uma coisa tão nossa e tão genuína! É bom sentir à falta de alguém..

Filipe disse...

Tal como tu, gosto muito de ler, e já li muita coisa. Mas nunca nada que me tocasse tanto. Nada tão bonito, tão meu, tão nosso. Foi o mais genuíno e perfeito retrato que alguém poderia fazer da nossa infância que, não obstante determinadas vicissitudes, guardo com muito carinho e uma cada vez maior saudade e nostalgia. Gostava de voltar. E se o pudesse fazer, não mudaria nada. Acrescentaria apenas um beijo em todas as noites, acompanhado de um "Cala-te moça!!!Metes-me nervos!!!Mas um dia...Um dia ainda vou ter saudades tuas..."...Nesta altura, tal como agora mesmo, "fecho a porta",para que o meu olhar não se cruze com o teu, surpreso por um raro momento de sinceridade e carinho entre tantos de aparente arrogância, austeridade, indiferença e frieza. Tu definiste-me como eu sou. E sendo mais que isso, eu sou teu irmão. E tenho saudades disso. "Tenho saudades tuas".

Tiago disse...

Adorei a cumplicidade do post e do respectivo comentário :)!! Foi realmente bonito!! Parabéns aos maninhos! Beijo e abraço

Zeca disse...

Bonito...não! Maravilhoso.
Mais maravillhoso, porque eu presenciei muitos destes momentos e até por vezes fui cúmplice.

E que saudades tenho desses momentos.

Obrigado Meus amores!

Antonieta disse...

Que forma tão linda de exprimir as saudades do teu irmão!
É bom saber que cresces-te ao lado de que amas tanto.
Melhor ainda é saber que esse sentimento é reciproco, e ( que apesar da ausência de quem deveria estar presente)guardais tão belas recordações de todas os momentos de infancia.
Momentos que pertencerão para sempre e apenas vossos,por muitos anos que passem e por maior que seja a distancia entre voces.Será sempre a VOSSA SAUDADE.

Diana Vasconcelos disse...

Não me admirou o que tu escreveste. Mas o que o teu irmão escreveu sim! As coisas são para serem ditas quando há oportunidade para tal :)