13 de maio de 2007

A verdadeira religião d' "O Memorial do Convento"

Padre Bartolomeu, Blimunda e Baltasar são os verdadeiros religiosos. Isto se considerarmos a religião na sua essência e não enquanto aparência e aparato. A ingenuidade, pureza e simplicidade dos amantes aliadas ao desejo de liberdade criativa do padre Bartolomeu possibilitaram a luta persistente pelo mais nobre dos ideais: o Sonho! A eles se entregaram e nele sempre tiveram fé e esperança - essa é a verdadeira religião. A eles pouco interessava se Deus era uno ou trino em pessoa, a meu ver é trino em essência: Bartolomeu, Blimunda e Baltasar, a sonhadora Trindade, o Bem supremo do Universo.
Fosse toda a gente tão devota quanto eles e as igrejas estariam vazias. Fossem todas as pessoas crentes e haveria mais brilho nos olhares, mais sorrisos nas almas e menos medo da morte. Talvez tudo isto fosse possível se a instituição Igreja, suposta representante de Deus na Terra, não reprimisse o seu âmago.
A Igreja esteve no seu pior quando se fez munir da "Santa" Inquisição para castigar e "sacrificar" as ovelhas tresmalhadas porque Deus disse: "Perdoai-vos como eu vos perdoei". Esta Igreja esteve sempre do lado de quem mais precisava: os reis e os nobres, deixando de parte a massa popular que, como dizia Principal Sousa em "Felizmente Há Luar" de Luis de Sttau Monteiro, sujavam com as mãos imundas as suas vestes clericais, pois Deus disse "Amai o próximo como a vós mesmos". Quando se sentia ameaçada e interrogada, quando as suas acções eram postas em causa, a Igreja chamava-os de hereges e deixava-os arder numa fogueira até que os seus corpos fossem totalmente consumidos pelas chamas para que "o cheiro a carne assada" chegasse aos narizes de quem ousasse saber mais. Mata-se e castiga-se em nome de Deus porque Ele disse: "Não invocar o nome de Deus em vão".
Se não existissem verdadeiros religiosos, permaneceríamos nas trevas, nunca teríamos tocado o céu, mas faríamos todos parte do Rebanho.

8 comentários:

Smiling disse...

estou à espera que mo emprestes:P mas falas dele com paixão, por isso, deve ser bonito.

:)

Mariana disse...

ó filetes...essa periodicidade?

;P*

SOS Animais disse...

Um dia destes tenho de ler esse taõ mediático livro. :p tive de ler a "Aparição" , uma grande obra também.


*****************

SOS Animais ( Renata T2 JCC)

José Pedro Pinto disse...

Não podes mesmo ser jornalista!

Nunca actualizas isto!!!

:D

Psicologicamente Inadaptado disse...

A Religião não passa de uma empresa, não acredito em Deus sou demasiado realista para isso, demasiado empirista para isso, se acreditar em alguma coisa acredito em Mim assim como todas as pessoas deveriam ter mais confiança nelas próprias, essa deveria ser a única Religião a de acreditar.mos em nós próprios...

Já agora falando nos livros, o "Memorial do Convento" foi giro mas Sttau Monteiro é muito melhor ;) é mais envolvente a estória

Gonçalo disse...

Olá!!!

Bem em primeiro lugar, agradeço-te muito por este texto acerca da 'Verdadeira religião d' ''O Memorial do Convento'''' Escreves muito bem, e este é o teu livro favorito!

Tenho umas pequenas curiosidades/dúvidas que gostava de ver esclarecidas, visto que a obra engloba alguns temas, nomeadamente a religião como exemplificaste aqui no blogue.

1) É verdade que existem antíteses entre os valores da religião cristã não é verdade? Quem os exemplifica é Baltasar; Blimunda e Bartolomeu. E quanto à igreja e a inquisição, também existem variadas atitudes tomadas não é verdade? Ora a minha duvida é mesmo saber quais esses valores de um e de outro, que na verdade são distintos.
Espero ter sido claro, qualquer duvida pergunta. Muito obrigado!!! =D

Daniela disse...

Depois de ler isso...fiquei com vontade. Mas deixe-me que lhe diga que só ainda não o fiz porque se acumulam milhares de outros livros na minha prateleira à espera de serem devorados. Deixa-me ter tempo e faço-te a vontade.

Se o ponto de vista do livro está centrado nas ideias de que falas aqui...eu vou ler e vou amar. You bet!

Anónimo disse...

Olá!
Muito obrigada. O teu texto é muito bonito e está muito bem escrito, até que como aluno tive uma aulda que necessitei dele.

Muito obrigada e boas leituras. :-)